sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Atuação Demoníaca no Brasil


“Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestiais” (Ef 6:12)
Paulo diz no texto de Efésios 6.12 que nossa luta não é contra o sangue e a carne, isto é, não é contra homens e mulheres de carne e osso e, sim, contra principados (archas, no grego); contra potestades (exousias); contra dominadores (kosmokratoras); deste mundo tenebroso e contra forças (pneumatika) do mal nas regiões celestiais.  

Principado é a tradução da palavra archon (singular de archas), e significa “aquele que foi instituído de autoridade”. Potestades (tradução de Exousias), referi-se aos cargos ou funções de autoridade, não aos titulares dos mesmos. Governadores deste mundo tenebroso (cf. tradução do ARA), ou Príncipes das Trevas (cf. a SBTB) é a tradução da palavra grega Kosmokratoras e significa “forças espirituais que se manifesta no mundo religioso”, no reino espiritual das travas, em oposição ao Reino da luz. De acordo com Arnold Clinton, Kosmokratoras, significa uma autoridade sobra a cidade. Ele toma a cidade de Éfeso, como exemplo, o Kosmokratoras local é a Diana de Éfeso. De acordo com esse mesmo autor, Diana, com o nome Ártemis, era suprema sobre a cidade de Éfeso.

Estariam as altas hierarquias satânicas apenas confinadas aos “deuses pagãos”? Como já foi observado, parece que elas se identificam mais com os Kosmokratoras, os governadores deste mundo tenebroso. Mas não podemos deixar de considerar os poderes ou forças que estão por trás das atitudes que dominam diversos setores da sociedade; que se escondem na corrupção, no materialismo, na religiosidade, no consumismo, na ganância, na escravidão, no corporativismo, O que se poderia dizer acerca de determinadas ideologias como o Capitalismo, o Comunismo, o Nazismo, ou do apartheid, do racismo, ou pan-niponismo?

Entendemos que há um principado poderoso atuando negativamente sobre o Brasil. Chegamos a essa conclusão observando, entre outras coisas, nossa atmosfera, nossa irresponsabilidade, nossa malandragem, bem como, nossa proverbial mania de “levar vantagem” em tudo. Porém onde é mais perceptível a atuação do mal, no País, é por meio da corrupção que se perpetua no ambiente político e da administração de nossas instituições. Isso nos leva a identificar um poder satânico poderoso, entre nós, que é quase invencível por meios normais, o Principado da corrupção.

Quantos idealistas, até mesmo irmão em Cristo, têm sido eleitos para o Congresso Nacional, para Assembleia Legislativa e Câmara Municipal, com o propósito de não se deixarem corromper? Muitos deles foram lá com o idealismo de transforma esses ambientes, tão suscetíveis a imoralidades e negociatas, em locais onde se legislaria e se praticaria a justiça em favor na Nação. Mas, com o tempo, devido a convivência com os corruptos e sob o domínio e opressão dos principados e potestades, vemos que muitos desses idealistas têm sucumbido diante das pressões e tentações. Depois de algum tempo, infelizmente, agiam da mesma maneira daqueles que antes combatiam.

A perversão sexual e o sexo ilícito também são dirigidas por um principado que influencia e molda o comportamento humano. A perversidade e a permissividade sexual têm trazido consequências tão terríveis como quem se envolveu profundamente com feitiçaria e idolatria. Essa opinião é compartilhada com muitos ministros de libertação e cura interior. Todos têm sido unânimes em dizer que a sensualidade, perversão sexual e sexo ilícito, causam mesmo problemas de opressão e de endemoninhamento, tão pesados, como os que se verificam com as pessoas que se envolvem com a feitiçaria. Deve-se observa cuidadosamente que o Apóstolo Paulo, quando se refere às obras da carne, coloca a feitiçaria, a idolatria, a sensualidade, e a perversão sexual no mesmo nível.

De igual modo, a violência e o derramamento de sangue, como vem acontecendo em certas regiões do Brasil, especialmente no Rio de Janeiro e São Paulo é sobrenatural. Herdamos, como cidade, um estigma histórico de violência. Isso significa que as brechas para esses principados sentirem o direito legal, para invasão e domínio, já são de longa data. E, nos últimos tempos, temos dado mais chance ainda deles se fortalecerem com os repetidos atos de violência e de derramamento de sangue nestas duas cidades. E, acrescentado a isso, se o governador de um estado dá mão ao crime organizado, fazendo aliança com grupos mafiosos, o resultado natural dessa atitude é o crescimento de “quebra-quebras”, de mortes escandalosas de presidiários e a matança desavergonhada de meninos de rua.

Há um aspecto interessante que ocorre no sincretismo de Maria com Iemanjá e com a Pomba-Gira. Maria é a mãe de Jesus. No caso brasileiro, é representado por Aparecida e corresponde a Iemanjá, na Umbanda, que, no candomblé, se transforma numa Pomba-gira, a Maria Padilha. Mas, Ogum, representado por São Jorge, segundo pesquisas, é o consorte de Iemanjá. – Quando escrevo que constatamos através de pesquisas; que verificamos; ou que discernimos o nome ou influência de certos demônios, significa que obtivemos tais informações em sessões de libertação, pelo testemunho de pais e mães de santo que se converteram. Geralmente os demônios atuam em áreas especificas e usam um nome ligado a essa área. Por exemplo, a influência de Ogum, também chamado São Jorge, normalmente traz muita violência e morte. A influência de iemanjá, também chamada Aparecida está ligada à sensualidade e prostituição – portanto, é fácil concluir que, na realidade, o Brasil é governado por espíritos de sensualidade e de violência.

No caso do Brasil, não é nenhuma novidade que nosso Kosmokratoras é representado por Aparecida, sincretizada com Iemanjá, conhecida como rainha dos mares. Ela esta de alguma forma presente em todos os lugares e é muitos influente na vida de muitas pessoas. Na mente de muitos brasileiros, Aparecida e Iemanjá se confundem. Elas são o símbolo da sensualidade, da prostituição (Rm 1: 18-20), da violência e da pobreza.

Neuza Itioka. Deus quer a sua Cidade. A luta contra principados e potestades. Associação do Ministério Ágape Reconciliação - AMAR

Nenhum comentário:

Postar um comentário